1. Início
  2. DESTAQUE
  3. COVID-19 | Arrancou a 2ª fase de testagem nos lares do Concelho de Abrantes

COVID-19 | Arrancou a 2ª fase de testagem nos lares do Concelho de Abrantes

Já teve início a segunda fase de realização de testes SARS-COV2 aos profissionais das respostas sociais de Estrutura Residencial do distrito de Santarém, sendo que no Concelho de Abrantes se encontra um dos cinco centros de colheitas para análise laboratorial, onde decorre a testagem uma vez por semana. A realização de testes irá replicar-se até março de 2021 a todos os profissionais de lares em exercício de funções, de forma a garantir uma atuação mais eficaz e em tempo útil.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Abrantes (CMA) anunciou que se disponibilizou para ser “parceira ativa deste programa de intervenção preventiva do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), em parceria técnica com o Instituto de Medicina Molecular, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. A CMA disponibiliza instalações para realizações dos testes, sendo responsável pelo funcionamento do mesmo o coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil”.

A primeira testagem de trabalhadores dos lares no centro de testagem de Abrantes realizou-se no dia 13 de outubro, no Tecnopolo, em Alferrarede. Foram testados 109 trabalhadores, oriundos de lares dos concelhos de Abrantes, Tomar e Mação. Os testes foram realizados por elementos da Cruz Vermelha de Rio Maior.

A partir de agora, o centro de recolha estará localizado numa área de balneários da piscina ao ar livre, no Complexo Municipal de Piscinas de Abrantes e os testes passam a ser realizados por uma equipa da Cruz Vermelha – Núcleo de Abrantes/Tomar que fez formação especifica para o efeito e serão testados profissionais de respostas sociais de Estruturas Residenciais dos concelhos de Abrantes, Sardoal e Mação.

De acordo com o MTSSS, na segunda fase deste programa, estão a ser testados preventivamente os funcionários dos lares com 50 ou mais utentes. No Concelho de Abrantes, para esta fase, e de acordo com o critério definido pela Segurança Social, estão identificadas três instituições. Cada estrutura residencial será objeto de testagem regular, sendo esta faseada por grupos de funcionários, o que permite sinalizar as situações de maior risco. Este critério poderá vir a ser alterado caso existam situações de surto na comunidade.

Para o Presidente da Câmara, Manuel Jorge Valamatos, “É crucial, pela saúde destes homens e mulheres e pela saúde de todos nós, colaborarmos com outras entidades para garantirmos a estes profissionais que se dedicam a esta população de risco, as merecidas condições de segurança”. O Presidente da Câmara refere que a autarquia está, como sempre esteve, ao lado destas instituições: “Temos vindo sistematicamente a responder a diferentes solicitações, quer ao nível dos testes, quer ao nível das máscaras e ações de higienização”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Categoria(s):
DESTAQUESaúde
Menu